30 de nov de 2012

A veterinária estima que mais de 200 cães tenham sido contaminados com a ração, da fabricante Admax.
O Ministério da Agricultura informou que está investigando as denúncias de contaminação da ração, no Espírito Santo, em Minas Gerais e em São Paulo.
PROTETORES CUIDADO COM AS DOAÇÕES DE RAÇÃO RECEBIDAS, A FÁBRICA DE RAÇÃO ADMAX, ESTÁ CONTAMINADA POR UM FUNGO. A imprensa só agora está divulgando o que aconteceu em SETEMBRO, e está divulgando que o lote x e o lote y estão com suspeita de contaminação...mas ocorre que o fungo (matéria-prima) passou por todos os equipamentos que fabricam/trituram a ração, portanto a fábrica deveria parar para ser descontaminada por inteiro, leiam e vejam o vídeo.
racao-admax
A médica veterinária Maria da Glória, afirma que 20 animais atendidos por ela morreram por conta da contaminação da aflatoxina. Por iniciativa própria, ela mandou fazer a análise da ração e constatou a presença do fungo. Ela explica que a contaminação é severa.
“Alguns animais levaram algum tempo para manifestar a doença. A manifestação é extremamente aguda: ontem o animal está bom, hoje ele já está todo amarelinho, para de comer, tem vômito e o óbito chega em horas ou em até dois dias”, afirma.
A veterinária estima que mais de 200 cães tenham sido contaminados pela ração 'Magnus Fórmula Natural', da empresa Admax Pet, no Espírito Santo. Os animais doentes apresentavam sintomas como diarreia, falta de apetite, vômito e barriga inchada. A médica solicitou aos clientes amostras dos pacotes de rações, de lotes 136/12A e 136/12C, e encaminhou para dois laboratórios diferentes. Os resultados das análises confirmaram o suspeita sobre a contaminação.
Maria da Glória disse que começou a investigar o caso quando registrou o quarto óbito em um mês. “Passei a desconfiar que havia algo errado. Na ficha de registro, todos eram alimentados com rações Magnus Fórmula Natural para animais de pequeno porte. Fiz análises nos a cães mortos e descobri que todos haviam tido uma espécie de hepatite. Exames mostraram a presença da substância aflatoxina, encontrada no milho, que provoca o amarelamento do fígado, a redução do órgão e o endurecimento até a paralisação total do funcionamento", detalhou.
O atraso no diagnóstico leva ao agravamento da doença e diminui as chances de recuperação do animal.
MORTE EM CÃES POR AFLATOXICOSE

Os inúmeros casos de óbito de cães, primeiramente no Espirito Santo e depois em Minas Gerais, ocorreram porque os animais foram intoxicados pela ingestão de ração contaminada por AFLATOXINA.

A aflatoxina é produzida pelos fungos do tipo Aspergillus que contaminam os ingredientes utilizados na produção das rações, (por produção entenda-se que contamina também os equipamentos que fabricam a ração) principalmente o milho. Geralmente a contaminação está relacionada ao armazenamento do produto, podendo atingir todo o lote se o problema vier de fábrica ou uma parte dele se tiver sido armazenado em outro local.
As aflatoxinas são letais quando consumidas em altas doses, mas podem ocorrer quadros agudos e sub-agudos caracterizados por hepatite, hemorragias, baixa de imunidade, hemorragia do trato gastrointestinal, febre e falta de apetite, e quadros crônicos com o desenvolvimento de tumores no fígado e outros órgãos.
Portanto recomendamos o a imediata suspensão do fornecimento desta ração aos seus cães, gatos, bem como outros produtos da mesma “família” até que o quadro seja esclarecido.
Resposta da Fabricante de Ração ADMAX
No vídeo da TV Globo (click aqui) a representante da empresa, diz que os lotes contaminados foram recolhidos em SETEMBRO (e quase 60 dias após a imprensa está divulgando).
…A empresa já realizou melhorias em seus processos de controle de qualidade, de modo a intensificar as análises de matéria-prima em relação à presença de aflatoxinas…
Clique aqui para ir ao site da fábrica da ADMAX, e ver a relação das marcas de ração fabricadas por eles.

Fontes:

30 de nov de 2012
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário