9 de mai de 2014

Começou a ser veiculado na TV aberta um comercial intitulado “Estrela Cadente” do Banco Itaú, com um minuto de duração, que traz mais malefícios à sociedade do a mensagem de esperança que esperava passar aos telespectadores.

Esse vídeo é um bom exemplo de como “somente as pessoas” que se importam com os “seres indefesos” tem uma percepção melhor, e mais apurada das mazelas do mundo. Um individuo que não se importa como as “crianças” são tratadas, sejam elas de “pé” ou de “patas” - jamais perceberia o conflito retratado nesse vídeo, que é prejudicial a todas as nossas crianças e à sociedade em geral.

A resenha do vídeo é:

1.Um menino vê uma coisa cair do céu;

2.Corre pela rua, e vai abrindo portões de ferro fechados;

3.Anda descalça em meio ao lixo;

4.Enfia a mão em uma lata enferrujada;

5.Pega um objeto brilhante, que em suas mãos parece uma pedra radioativa

(sem contar nada a nenhum adulto sobre o incidente – isso não aparece no vídeo, portanto é o que acontece)

6. Procura em livros se informar o que pode ser aquele objeto.

7. Aparece uma página escrita – “Estrela Cadente – Um desejo”

8.No outro dia, com a pedra brilhante em seu bolso o menino caminha pela rua;

9.Vê uma bicicleta e retira a pedra do bolso – dando a impressão de que ele desejava a bicicleta

10.Depois o menino aparece em uma feira livre onde se vende frutas e hortaliças; e PASMEM, em uma banca dentro dessa feira, há cestas e cestas de vime e dentro há filhotes vivos de cachorrinhos praticamente recém-nascidos que estão tremendo de frio no local, e novamente o menino tira a pedra do bolso dando a impressão de que ele desejava ter um animalzinho de estimação.

11.Passam-se os dias e o menino continua a carregar a pedra brilhante.

12. Aos exatos 0:33 segundos do vídeo, o menino já com o  uniforme escolar, começa a caminhar, e na rua há um cachorro abandonado, o qual no vídeo aparece bem desfocado dando a impressão de uma mancha preta deitada na rua, mas que se mexe…

13. Depois o menino, que aparenta ter de 8 a 10 anos, caminha com um adulto que o leva a entrar em um bar e lá assistir o jogo transmitido pela TV.

Lendo a resenha, ele até parece não ser assim tão maléfico mas as mensagens subliminares que ele passa, serão perpetuadas…

itaumudaissoqueeilegal

Segue baixo a minha denúncia junto ao CONAR

No Brasil o CÓDIGO BRASILEIRO DE AUTO-REGULAMENTAÇÃO PUBLICITÁRIA, cita em seu preambulo;

Artigo 2º - Todo anúncio deve ser preparado com o devido senso de responsabilidade social, evitando acentuar, de forma depreciativa, diferenciações sociais decorrentes do maior ou menor poder aquisitivo dos grupos a que se destina ou que possa eventualmente atingir.

Por conseguinte o comercial “Estrela Cadente” do Banco Itaú me parece não estar de acordo com essa regulamentação, haja visto que:

1- Esta propaganda pode induzir as crianças a manusearem materiais perigosos;

Amplamente conhecido como acidente com o Césio-137, foi um grave episódio de contaminação por radioatividade ocorrido no Brasil. O acidente radiológico de Goiânia, ocorreu quando catadores encontraram o material brilhoso - gerando um rastro de contaminação, o qual afetou seriamente a saúde de centenas de pessoas. É o que faz esse comercial, induzir crianças a pegar objetos desconhecidos só pelo brilho e por sua curiosidade, e omitir isso dos adultos.

2- Além de induzir as crianças, a andarem descalças sobre lixo, entulho; manusear coisas enferrujadas que podem ocasionar o tétano, além de invadirem propriedades, abrindo seus portões.

3. Apesar de amplamente combatido pelas Entidades Protetoras dos Animais, o comércio de animais de estimação, é uma atividade comercial regulamentada apenas para criadores e lojistas e nunca em feiras livres de hortifrútis.

4. A cena em que os filhotes aparecem na banca de feira livre, demonstra a irresponsabilidade social em apresentar os minúsculos filhotes – como “mercadorias da época”, inibindo a realidade de que são “seres sencientes”, e motivando o comércio ilegal das criações de animais de fundo de quintal, os quais são vendidos em praças, esquinas, e agora em feiras livres - as quais as notícias de apreensões pela polícia e autoridades são frequentes, haja visto a crueldade imposta aos animais matrizes que vivem engaiolados, doentes e famintos – procriando indiscriminadamente, para produzirem mais e mais dinheiro a seus algozes.

5. E quando aos 0:33 segundos do vídeo, o menino nem enxerga o cão que está na rua deitado e abandonado – demonstra além da falta de responsabilidade social, já que no Brasil, dados demonstram que há mais de 30 MILHÕES DE ANIMAIS ABANDONADOS -

E que estudos científicos já comprovaram que => Crianças que crescem ao lado de animais de estimação são mais felizes e saudáveis…

Ou seja poderia ter induzido a adoção do animal de rua, tornando-o assim um ser humano melhor – e dessa forma não mais existiriam animais abandonados e teríamos crianças mais solidárias, mais felizes e mais saudáveis.

6. E por final terminar o vídeo, com um menor de idade sendo levado a um bar. Quem em sã consciência pode considerar salutar que um adulto leve um menor a um “botequim”, seja por qual motivo for - onde há dezenas de homens adultos - em um mundo flagelado pelo abuso infantil e pela pedofilia, não me parece uma propaganda digna de ser veiculada nem na Tv nem no Youtube.

Pelos motivos acima expostos que convoco a todos a escreverem em suas redes sociais;

#ItauMudaIssoQueéIlegal

#PorUmMundoComNovosValores

#AdoteAnimaisNãoCompre

Vejam o vídeo e tirem sua próprias conclusões;

Legislação
No Brasil, não existe nenhuma lei que proíba expressamente qualquer modalidade de propaganda subliminar. Em casos assim, é proposto que se aplique o artigo 20 do Código de Ética dos Publicitários, que declara que as mensagens devem ser ostensivas e assumidas, assim como também o artigo 36 do Código de Defesa do Consumidor, que proíbe anúncios disfarçados. Já na União Europeia e nos Estados Unidos, há legislação proibindo alguns gêneros de subliminares.

O mundo das mensagens subliminares

Você já deve ter escutado que elas têm o objetivo de influenciar o processo de decisão nas compras e até o nosso comportamento.

Existe força nas mensagens abaixo do limiar da percepção, as chamadas mensagens subliminares. Dizem que elas têm o poder de ditar comportamentos, aumentar o consumo de determinados produtos ou, em resumo, manipular mentes.  Este é um tema, sem dúvida, controvertido e polêmico, que não consegue ser descartado cientificamente e que, volta e meia, vem à tona apresentando experiências de cair o queixo.

Em 1997, 728 crianças no Japão sofreram ataques epilépticos após assistirem a cenas do desenho que exibiam efeitos com cores. A animação piscou, durante cinco segundos, 54 luzes intensas das cores (vermelha, branca e azul) intermitentemente, em looping, forçando o nervo óptico e o cérebro com mais intensidade. O objetivo inicial dos desenhistas japoneses era a inserção de um forte estímulo visual para criar tensão emocional extrema.

No desenho “Bernardo e Bianca”, de 1977, há inserção de dois fotogramas de uma mulher com os seios à mostra. A cena acontece aos 28 minutos do filme e é visível apenas quadro a quadro. A Disney admitiu publicamente ter encontrado imagens abaixo do limiar de percepção e foi obrigada a recolher 3,4 milhões de fitas em locadoras de vídeo nos Estados Unidos.

Quem quiser copiar e enviar ao CONAR, segue o link http://www.conar.org.br/

Resposta do Conar em 19/05/14 a minha reclamação.

conar

9 de mai de 2014
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário