26 de jan de 2015

A leoa que havia sido encontrada vivendo na garagem da oficina de um mecânico no México, sofreu um tratamento tão terrível de seu algoz que ela faleceu pouco tempo após seu resgate.

leoa_madonna

O animal apresentava uma grave desnutrição, com baixo peso, e com vários ferimentos expostos em suas costas e pernas, e várias partes de seu corpo sem pêlos. Também as garras de suas patas, e suas presas foram arrancados.

Eitan Hernandez, de 44 anos, tirou os dentes e garras, a fim de mantê-la como um animal de estimação em sua oficina em Tlaquepaque/Guadalajara.

A leoa batizada de Madonna por seu cruel tutor, pesava menos de um terço de uma leoa adulto normal. Tinha apenas 40 kg, quando foi resgatada em outubro do ano passado, pelo grupo de direitos animais no México, juntamente com um lince idoso.

A Procuradoria Federal de Proteção Ambiental ( Profepa ) que fez a aprensão, havia transferido os animais para a Unidade de Resgate e Coexistência Bioparque Pachuca,  e esperava-se que após um ano de reabilitação, ela pudesse ser tranferida para o santuário 'The Wild Animal Sanctuary',  nos Estados Unidos.

A Profepa divulgou uma nota sobre o falecimento da Leoa. A necropsia revelou que a leoa morreu ontem de causas naturais, e na hora da morte aos 24 anos de idade, pesava 78 quilos.

O Leão Africano é uma espécie exótica no México e está listada no Apêndice II da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Silvestres (CITES).

26 de jan de 2015
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário