23 de out de 2015

O caso dos ursos polares Aurora e Peregrino que se tornaram o símbolo do abuso da exploração de animais para o entretenimento humano será tema de audiência pública na CPIANIM - Comissão Parlamentar de Inquérito  Maus Tratos de Animais.

Cabe frisar que ‘exploração’ é também o termo que consta na designação de categoria junto aos órgãos públicos – “Atividade de criação e exploração econômica de fauna exótica e de fauna silvestre”.

ursos_polares-cpi

Entre a realidade dos fatos sobre a transferência e a origem desses ursos polares, e o que foi divulgado pelo aquário de São Paulo, existe uma névoa que encobre a dura realidade de outros 50.000 animais que hoje ‘pertencem’ aos zoológicos e aquários brasileiros.

Uma realidade que as emissoras de TV brasileiras fingem não ver, e que portanto colabora para que uma parte significativa da população não entenda a questão.

Esses ursos polares especificamente viviam há vários anos no Zoológico de Udmurtia, na cidade de Izhevsk/Rússia, onde o clima é muito similar ao seu habitat natural – neve no inverno e sol no verão, e como bem informou a Jornalista Tatiana Yan’Kova;

-“Infelizmente os ursos polares não são livres para decidir onde eles querem morar”.

O artigo no Jornal Evening Kazan, escrito pela jornalista relata que o diretor do zoo de Kazan confessa que esses ursos polares realmente viviam há muitos anos em Izhevsk, de onde saíram para vir ao Brasil - e que se trata de uma “viagem de negócios”, o que além de ser muito divergente do que foi divulgado, se constatado deverá ser devidamente tributado.

A importação de Girafas por um zoo de Santa Catarina, chegou ao Supremo Tribunal Federal depois que foi tributado, só foi revelado pelo jornal Valor Econômico.

No entanto a morte de uma das Girafas, depois de sua chegada ao Brasil não foi divulgada por nenhum outro jornal. Outra fato deturpado, é que isso originou-se da troca de Tucanos por Girafas com um zoo dos EUA.

Mas a verdade é que estas Girafas não vieram dos EUA, elas  vieram diretamente da África do Sul.

Temos então mais uma saga pela frente - apurar se essas girafas foram tiradas do meio selvagem ou se seus pais foram tirados da natureza, para assim ‘legalizar’ o nascimento delas em cativeiro.

Quando o escrevi o artigo informando que Aurora a fêmea de urso polar havia nascido livre no meio selvagem, e ela e sua irmã foram retiradas da natureza para nunca mais serem reintroduzidas, o aquário de São Paulo divulgou uma nota - já em tom de ameaça;

"Ursos polares não foram tirados da natureza", afirma Aquário de São Paulo –  foi o título da matéria no site do UOL;

"Qualquer afirmação pejorativa sem fundamento poderá sofrer medidas jurídicas",  foi o subtítulo na VejaSP.

Quanto a origem do macho de urso polar  Peregrino, ela ainda é um mistério, pois ele tanto pode ter nascido livre, como pode ter nascido em cativeiro, já que chegou ao Zoo Udmúrtia vindo do zoo de Moscou do qual as informações são contraditórias.

Já no caso das Girafas, o zoo brasileiro alegou ao STF, que é uma entidade que não tem fins lucrativos e que portanto está imune à tributação.

– A gente soube dessa tributação antes de os animais chegarem. Então, conseguimos na Justiça Federal uma liminar impedindo essa cobrança para conseguir a liberação deles na aduana – lembra o gerente do parque, Maurício Braun.

Dessa forma o zoo americano ficou no lucro, já que recebeu o seguro devido a morte da girafa e nem precisou devolver nenhum dos tucanos brasileiros que recebeu.

Para não correr o risco de serem tributados outros exploradores de animais não tem feito seguro de vida para o transporte internacional dos animais exóticos. Uma vez que as transferências são feitas em total segredo sem ninguém da imprensa divulgando, se o animal morre também ninguém fica sabendo e nenhuma autoridade investiga.

Afinal se um profissional cujo ordenamento exige que ele não deturpe, e nem falseie informações e siga um determinado código de ética, mas que ele opta por não seguir e mente  descaradamente sobre a origem de um animal, como garantir que ele não estará mentindo ao informar a causa da morte ao assinar o atestado de óbito do animal.

Por muitos anos os zoos tem alegado terem como missão a educação ambiental, no entanto os zoos particulares desrespeitam a  Lei 7.844/92 , a Lei Federal 10.741/03, e o Decreto 35.606/92 - que concede meia entrada para estudantes e idosos em estabelecimentos de diversões, eventos culturais,  e de lazer, pois não concedem o benefício.

Enquanto milhares de animais definham em instalações precárias dentro dos zoos brasileiros, o zoo de Santa Catarina disse que ainda nos próximos meses deve receber ainda mais alguns animais, entre eles três leões da Argentina, e um felino e um primata da Europa.

A lista de questões, dúvidas e imbróglios jurídicos, que envolvem essas importações e exportações de animais silvestres e exóticos são desconhecidas e ocultadas da população em geral.

Veja que o aquário ao divulgar que os ursos polares teriam vindo de um lugar pequeno e ruim, acabou provocando uma comoção nas pessoas, tanto para que elas ficassem favoráveis a permanência deles em São Paulo, não importando que no futuro esses animais podem além de ficar sem água e sem o ar-condicionado, nos apagões previstos devido a crise hídrica, e aumentando mensalmente a conta de energia elétrica de todo paulistano.

Resta agora apurar quais outras mentiras existem além da falsa história de Kazan, e de que eles teriam vindo em ‘caixas espaçosas e climatizadas’.

No último dia 8/10, através do requerimento Nº 82/15 – do Deputado Federal Ricardo Izar, que também é o presidente da CPI dos Maus Tratos aos animais, constou da pauta que; "requeiro, nos termos regimentais, que sejam incluídos convidados na Audiência Pública para esclarecer sobre o papel dos Zoológicos e Aquários, e sobre a importação de animais exóticos para tal fim, condições de bem-estar, manejo e maus-tratos, notadamente no que diz respeito à importação dos Ursos Polares, Peregrino e Aurora, provenientes da Rússia, para exposição no Aquário de São Paulo. Testemunhas/Denunciantes: 1 - Marli S. Delucca (Blogueira/Info-ativista); 2 - Adriana Khouri (Ativista, Química); 3 - Vania Tuglio - Promotora de Justiça do GECAP Investigados: 4 - Laura C. Reisfeld - Responsável técnica do Aquário de São Paulo".

Mas muito além de inventar uma triste história, tentando se passar por ‘salvador dos animais’, para assim atrair mais e mais visitantes, não será somente a equipe do aquário de São Paulo que terá que se explicar a CPI dos Maus Tratos de Animais.

Deverá ainda ser apurado qual órgão ambiental ou autoridade, autorizou que o Aquário de São Paulo expandisse suas instalações utilizando água do sistema alto tietê, já que o mesmo não possui poço artesiano – diante da maior crise hídrica na cidade, bem como infringir outras legislações.

Mas o maior engodo dessa história é dizer que esses ursos polares foram trazidos para a preservação das espécies – sendo que só o recinto que foi construído para eles utiliza mais de 15 condicionadores de ar - estão  contribuindo diretamente para a destruição do gelo no Ciclo Polar Ártico, e por conseguinte com para a morte de outros ursos polares.

Refrigeradores e condicionadores de ar liberam gases hidrofluorcarbonos (HFC), que podem ser milhares de vezes mais potentes do que o dióxido de carbono (CO2) em prender gases de efeito estufa na atmosfera, apontados como responsáveis pelo aquecimento global.

Receosos com as revelações na audiência,  a 'categoria' se uniu e pediu ao Sr. Goulart para participar da audiência na CPI, o qual através do requerimento Nº 95/15, solicitou que fossem incluídos como convidados;.

1- Mara Cristina Marques - Presidente da Sociedade Paulista de Zoológicos;

2- Yara de Melo Barros - Diretora Técnica do Parque das Aves, em Foz do Iguaçu (Sociedade Brasileira de Zoológicos);

3- Cristiane Schilbach - Membro da Comissão de Bem-Estar animal ;

4 - João Batista da Cruz (Fundação Parque Zoológico de São Paulo);

5 - Ricardo César Cardoso (Aquário de São Paulo)

Antes da votação, o Deputado Federal Ricardo Trípoli, relator da CPI de Maus Tratos aos Animais, pediu paridade entre as partes, e sua sugestão de que somente houvesse 3 expositores foi acatada por todos os outros deputados que deliberaram a favor do requerimento.

Restando apenas mais 10 dez dias para o término da CPI de Maus Tratos aos Animais, os deputados correm contra o tempo para apurar os temas que abrangem o maior número de casos de abuso e de crueldade contra os animais.

E se você compartilha desse sentimento de justiça e de direitos pelos animais, acompanhe a CPI nesse link http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-temporarias/parlamentar-de-inquerito/55a-legislatura/cpi-maus-tratos-de-animais, ou com a hastag #CPIANIM .

Para saber mais detalhes sobre o caso dos ursos polares Aurora e Peregrino, veja os 10 Fatos sobre os Ursos Polares e o Aquário de São Paulo, ou acesse Facebook.com/FreeAuroraPilgrim (https://www.facebook.com/FreeAuroraPilgrim)

Além do casal, 50 mil animais cativos nos zoos e aquários precisam de você! (http://muralanimal.blogspot.com.br/2015/10/10-fatos-sobre-os-ursos-polares-e-o.html)

Uma grande parte da população não sabe o que acontece com os animais dentro dos zoológicos e dos aquários, e eles só vão saber se o caso chegar  à grande mídia, portanto compartilhe, copie e divulgue.

23 de out de 2015
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário