16 de out de 2015

“É assim que se age com a natureza - é ajudando - não estragando, e nem matando os bichinhos igual vocês fizeram por ai não!”
lobo-guara

As palavras são de Milton Rodrigues, um caminhoneiro de coração, que essa semana salvou uma fêmea de lobo-guará da morte certa.
 
No vídeo postado em seu perfil no facebook, o caminhoneiro conta que o animal atravessou a estrada  enquanto ele trafegava e deitou exausto no acostamento. O caminhoneiro então  parou para tirar uma foto, quando então a fêmea de lobo-guará se arrastou para aproveitar a sombra que havia embaixo do caminhão.
 
Milton então percebeu que o animal estava morrendo de sede em meio a seca que assola o cerrado do Mato Grosso no qual a temperatura ele estima em 42 graus Celsius.
 
Com muita habilidade Milton colocou o animal para dentro do caminhão, molhou o animal e voltou a dirigir até encontrar um local mais fresco onde poderia tentar reanimar a fêmea.
 
Depois de percorrer 4 Km, Milton parou seu caminhão ao lado de uma mata na esperança de a sombra, o cheiro e a umidade oferecida pelas árvores, pudessem dar ao lobo-guará um motivo para viver.
 
E enquanto hidratava o animal dando-lhe pequenos goles de água, Milton além da lição de solidariedade sem a qual esse lobo-guará não teria sobrevivido, deu um recado a todos os covardes que maltratam animais, ao lembrar do caso da rara onça preta que foi morta a pauladas por homens de dentro do barco em um rio. (click aqui)
 
No vídeo Milton diz que não tem nada para dar de comer ao lobo-guará, mas depois de vários goles de água, os esforços do caminhoneiro são recompensados. A fêmea de lobo-guará se levanta, se estabiliza e entra mata adentro.
 
O que Milton Rodrigues e o Sebastião que filmou toda a ação não sabiam, é que eles não estavam salvando só uma fêmea de lobo-guará, eles salvaram toda uma região do cerrado, que também morreria se esse animal não tivesse sido salvo.
 
Apesar do nome, o lobo-guará assemelha-se mais a um cachorro tímido do que um lobo selvagem ou bravio. Apesar de comerem de tudo, o que eles mais gostam é de comer frutas, tanto que são chamados de “semeadores do cerrado”, porque suas fezes espalham as sementes e garantem que o cerrado continue vivo.
 
Sendo um animal de hábitos noturnos, mais ágil ao entardecer e ao amanhecer, os lobos-guarás preferem comer pequenos animais como roedores, como ratos, preá, e cobras
 
A preferida deles é a fruta da lobeira, uma planta nativa da América do Sul. As lobeiras e os lobos-guarás participam de uma relação chamada mutualismo, onde as duas espécies se ajudam: as lobeiras fornecem frutos que são consumidos pelos lobos, e os lobos liberam em suas fezes as sementes das plantas, ajudando para que germinem novas lobeiras por onde passam.
 
Entre suas frutas preferidas estão a fruta-do-lobo ou lobeira, o pêssego, maracujá, goiaba, etc. Além disso, é atraído por cheiros fortes, assim o avanço das cidades em seu território, faz com que o lobo-guará seja atraído para as lixeiras das pessoas.
 
Quando um macho encontra uma fêmea, eles se tornam um casal por toda a vida, e precisam de pelo menos 2.500 hectares de terra para sobreviver (equivalente a 2.500 campos de futebol).
 
Ao herói Milton Rodrigues, o caminhoneiro amigo dos animais e do meio-ambiente, nossos agradecimentos por ter salvado esse animal que está em risco de extinção mesmo que as autoridades não admitam.

16 de out de 2015
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário