20 de dez de 2011


  • por  Marli Delucca
maustratos_buffet      
Agora de manhã, li a triste notícia na ANDA, de que um ferret e outros animais (pássaros, Coelhos, Hamster, Chinchilas, Furões, Pássaros, Codornas), estão confinados em um buffet infantil para servirem de brinquedo vivo para crianças de qualquer idade, inclusive aquelas que mal sabem andar e não tem a mínima noção do quão frágeis são estes animais quando apertados, e que conforme podem ver no vídeo abaixo podem pisotear o animal a qualquer instante, e que causa um “nítido estresse”.
Tal situação provoca sofrimento aos animais, que estão em ambiente hostil e com grande circulação de pessoas. A Constituição Federal impõe proteção à fauna e à flora, proibindo qualquer prática que coloque em risco ou submetam os animais à crueldade, mesmo que ela não seja intencional. A curiosidade de uma criança em pegar e manipular um animal tão frágil e tão pequeno, pode matá-lo em um simples pisão ou num apertar das mãos.


Estou tentando entrar em contato com o gabinete vereador Roberto Trípoli, para que o mesmo consiga um mandato de busca e apreensão desses animais uma vez que conforme a Lei nº 14.483, resultado de projeto de Lei de sua autoria.…os animais expostos não podem ter contato com os frequentadores do estabelecimento. Para resguardar o bem-estar e sanidade..”
furao-em-exposição-1024x768
E Inclusive estarei me colocado ao inteiro dispor das autoridades para ser a guardiã (fiel depositária) do furão, e espero que outros protetores ou ONGs, possam também abrigar os outros animais dos quais infelizmente não tenho conhecimentos sobre a espécie para poder dar os cuidados e a vida digna que merecem.
Alguns talvez se lembrem que há muitos e muitos anos atrás dois ferrets que foram abandonados no parque do Ibirapuera foram levados ao Rancho dos Gnomos, uma entidade que vive de doações, para manter os diversos animais, vítimas de tráfico e de maus-tratos, não conseguiu recursos suficientes e estes passaram o restante de suas vidas em uma gaiola.

Se alguém mais puder ajudar para que possamos retirar esses animais desse buffet (advogados, políticos, imprensa), peço que entrem em contato comigo por e-mail (msdelucca@gmail.com) ou no meu perfil do facebook Marli Delucca.
Entrem em contato com o gabinete do vereador Roberto Trípoli, para que o mesmo consiga um mandato de busca e apreensão desses animais uma vez que conforme a Lei nº 14.483, resultado de projeto de Lei de sua autoria - “…os animais expostos não podem ter contato com os frequentadores do estabelecimento. Para resguardar o bem-estar e sanidade..”
e-mail  contato@robertotripoli.com.br Fone: 11 3396-4522 -Câmara Municipal de São Paulo - Gabinete do Vereador Roberto Trípoli - Viaduto Jacareí, 100 - Sala 705 , uma vez que qualquer outra atitude que não seja a retirada desses animais desse local, somente poderá corroborar para que estes continuem sendo utilizados como brinquedos vivos.
maustratos_buffet2
Atualização 13:36 hs. - resposta da assessoria do vereador Trípoli, que enviou ofício ao CCZ/SP.
De: contato@robertotripoli.com.br <contato@robertotripoli.com.br>
Assunto: MAUS TRATOS EM BUFÊ
Data: Terça-feira, 20 de Dezembro de 2011, 12:01
Prezadas DRA ANA CLAUDIA MORI E DRA TAMARA,
Conforme orientação da Dra. Tamara, por telefone, estamos encaminhando a denuncia relativa ao bufê infantil que possui vários animais, em condições aparentemente precárias e ainda faz mal uso deles, em festas infantis. O apelo dos protetores chegou ao Gabinete do Vereador Trípoli e diante da condição dos animais, mostrada inclusive em vídeos, solicitamos que este CCZ providencie a fiscalização no local. Trata-se, conforme a denuncia,do buffet……….
Cordialmente
ASSESSORIA PARLAMENTAR DO GABINETE DO
VEREADOR ROBERTO TRÍPOLI
cartaz_buffet

Comentários Destacados
Deborah (20 de dezembro de 2011, 10:49), disse:
Isso é um absurdo. Já fui em uma festa nesse buffet.. além de os animais serem submetidos a estresse e maus tratos, não podem descansar por causa da luz durante o dia, e a noite, luz e muito barulho.Fiz uma denúncia no IBAMA, mas pelo visto, nada foi feito!!!
Lamentável!


Cristina Gianni (20 de dezembro de 2011, 11:07), disse:
Vi uma festa assim aqui em Brasília e fiquei profundamente constrangida. Tinha filhote de Lhama, mini vaca, coelhinhos, mini poney, cabritinho, etc…Alguns, visivelmente desidratados e já com diarréia. Ele iam até o caminhão e trocavam por bichos em melhor estado. Um horror.
Nota:
Pois bem só posso dizer que duvido que o fiscal do IBAMA que esteve nesse estabelecimento saiba o que é um mustela putorius furo, o que come, e como ele vive. Tenho que formalizar alguma queixa...onde....porque por exemplo há exatos dois meses a ração de furão, a única que era importada para o Brasil está em falta, o que estão dando para esse furão comer.... Será que esse fiscal sabe que a temperatura corporal de um ferret é de 38 graus, e que ele tem que beber 3 vezes a mesma quantidade que consome de ração, será que esse fiscal sabe que o furão é um carnívoro (metade cão, metade gato) e não um roedor e não poderia ter apenas um bebedouro.
Tenho comigo documentos originais do próprio importador de Ferrets do Brasil, que cita claramente que ele não deve ser manipulado por crianças pequenas, porque suas costelas são como o ossinho da sorte das galinhas, e que os mesmos contraem gripe humana (que neles vira uma pneumonia) e que também transmitem a gripe e outras doenças para humanos. Será que esse fiscal do IBAMA, conhece a lei do Tripoli, que animais expostos não podem ter contato com o público.
Esse buffet infantil, que a priori só deve ter movimento noturno e aos fiscais de semana, tem o cartão de ponto do funcionário que alimenta os animais durante os cinco dias da semana, tem as notas fiscais da ração que compra para comprovar que realmente os animais se alimentaram a semana inteira e quantas notas fiscais de compra de animais eles tem registrado no passivo da empresa, para verificarmos quantos animais eles já compraram e quantos podem ter morrido sem que ninguém soubesse.
Eu já comentei com um repórter da record e outro da globo, e ficaram de levar o caso a produção das emissoras, não é possível que não haja uma lei que impeça que esses animais permanecem dentro dessa sala de vidro, que duvido tenha um sistema de ar condicionado, além do que existem animais de clima frio (ferret, chinchila, hamster, coelho) ao lado de pássaros,  ratos que são de clima quente, então como um fiscal do IBAMA pode supor que estes animais estejam bem, além de que o Furão na natureza se alimenta de coelhos e roedores, imagine o stress do predador e da presa  viverem um ao lado outro, todos eles tem focinho e sentem o cheiro do outro ininterruptamente.
Na lei do Tripoli diz que os animais só podem ficar expostos 6 horas, existe nesse buffet algum local, quarto, quintal, onde os animais tem o seu tempo de relaxamento fora da gaiola, ou não estão predestinados a viver e morrer dentro destas gaiolas, porque os pet shops tem bichos para vender, portanto supõem que fiquem pouco tempo nas gaiolas, mas se esse buffet não vende os bichos não pode ser considerado uma empresa, nem zoológico, portanto para mim vejo uma pessoa física que comprou um animal e teria obrigação de dar a estes um ambiente doméstico o mais próximo possível de seu habitat natural.
Muitos conhecem meu apartamento, e como crio meus ferrets, eles são parte da família e como tal vivem e dormem com meus filhos de pés, e o quanto abomino gaiolas, na Europa existe uma legislação específica contendo a medida mínima de cada gaiola para cada tipo e tamanho de animal. Porque você viu e tenho raio-x para provar a deformação óssea que ocorre na coluna cervical de furões que vivem gaiolas.
Aqui no Brasil o próprio importador e os vendedores dizem aos compradores que Furões vivem em gaiolas para sua própria segurança, isso é mentira, eles só querem vender as gaiolas e poder continuar a vender os ferrets, porque que tem furões tem que ter a casa telada, e os ralos lacrados, é só isso, e que os moradores se acostumem a andar olhando para o chão, se fosse assim ninguém compraria os ferrets, e portanto eles deixariam de ganhar dinheiro. Em 2004 eu escrevi um artigo "O Mártirio dos Ferrets no Brasil, que a Gabi do PEA públicou e juntas fizemos um PPS ( http://www.pea.org.br/cuidados/ferrets.htm),nessa epóca e por muito tempo eu usei o nome de Xereta Ferret, e os links que constam lá não existem mais, o msn acabou com os grupos. Ainda nessa época comentei com a Gabi, que gostaria de uma lei com medidas de gaiolas, e o argumento que ela me deu era de que se isso foi feito, seria como assinar que os ferrets seriam mercadorias, só que perante a legislaçao na hora de defendê-los e dar-lhes um mínimo de espaço e de dignidade para viverem, eles acabam não sendo nada.
Alguém sabe me dizer se o Fiscal do Ibama sabe que se os ferrets recebem mais de 6 horas de luz, eles são acometidos por tumores que chamamos de Doença de Adrenal, que é um câncer na glândula supra renal que leva o furão a morte.
Não, eu duvido que as pessoas que a proprietária diz que foram lá averiguar tivessem os mínimos conhecimentos sobre os Ferrets, para poder comprovar que eles estão estressados e em risco iminente de morte.
Agradeço por toda a ajuda que puderem me dar e a estes ferrets, porque eu não vou parar por aqui, infelizmente as festas me impedem de ir até a assembleia e bater na porta de todos os políticos do estado de São Paulo. Há 10 anos faço um trabalho de formiguinha tentando salvar ferrets de petshops e donos irresponsáveis, e esse buffet desmantela o pouco que eu construí, porque se em cada festa tiverem 100 pessoas, que vão achar que é dessa forma que se criam ferrets, eles continuaram a ser comprados e maltratados.





















20 de dez de 2011
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário