24 de jul de 2014

(Vídeo) Em muitas cidades ao redor do mundo cães errantes, caminham em busca de abrigo, água e alimento. Enquanto não houver uma solução  para enfrentar e resolver o cerne deste problema, teremos que aceitar que os animais abandonados pela sociedade, tornaram-se animais urbanos e co-habitantes de nossas cidades. 
Alimentando Animais de Rua
Eles aprenderam a sobreviver em um ecossistema completamente diferente – com carros e com semáforos, com humanos e suas latas e sacos de lixo que eventualmente fornecem algum alimento, e com a maldade e a bondade dos seres humanos. Ainda assim, a excassez de água e comida, é cada vez maior, afinal os tempos são dificies também para as pessoas que não desperdiçam mais alimentos, e os animais errantes dependem cada mais da bondade de estranhos para se alimentarem. 

Em uma cidade como Istambul, estima-se que há 150 mil cães e gatos abandonados nas ruas com 14 milhões de habitantes humanos.

Parecido com um caixa-eletrônico, uma empresa turca que faz reciclagem de garrafas plásticas, criou uma caixa de coleta e distribuição, que visa aumentar a reciclagem de garrafas plásticas, e em contra-partida a caixa agradece e devolve água e ração para alimentar os cães e gatos errantes, incentivando as pessoas a serem solidárias aos seres necessitados.

O assunto sobre de cães abandonados nas ruas é um tema frequentemente polemico. A Turquia, em particular, tem uma história de "soluções" controversas para o problema.

Em 2012, o governo elaborou uma lei que iria enviar os cães errantes da cidade para os "parques de vida selvagem", na periferia da cidade. Indignados com essa proposta, ativistas de direitos animais, relembraram um ato brutal de crueldade contra os animais, quando a partir de 1910, os cães que vagavam pela cidade foram enviados para uma ilha e lá foram deixados para comerem uns aos outros até se matarem ou morrerem de fome. As informações são do Big Think.

Quer queiramos ou não, temos de assumir a responsabilidade e aceitar o fato de que os cães e gatos que vemos pelas nossas ruas, não desaparecem ao virar a esquina, eles continuam a precisar de abrigo, de cuidados, de alimento.

Ahmet Senpolat, advogado dos dos direitos dos animais em Istambul diz;
Os projetos de lei nunca abordam o problema na raiz que é: o comércio de animais e os pet shops. Os filhotes de raça ou mistura delas são caros e vendidos nas lojas de animais. As pessoas costumam comprar os filhotes, e abandoná-los quando eles crescem, e eles vão se multiplicando.
Mas a Pugedon, empresa turca de reciclagem, resolveu apostar na solidariedade e bondade do ser humano. O dispositivo estimula os transeuntes a reciclar preservando o meio-ambiente, e a olhar para os animais abandonados - co-habitantes da nossas vidades com olhos diferentes. O princípio da máquina é muito simples - tem recipientes para colocar água (você pode derramar a água restante de sua garrafa antes de reciclá-lo) e para comida de cachorro. Uma porção fixa de grãos é liberada quando a garrafa é reciclada. 

O projeto é todo da empresa, e não teve nenhuma participação do governo turco e cobre os custo da ração com as garrafas recicladas.

Toda vez que alguém em Istambul insere uma garrafa de plástico em uma das caixas  automáticas de coleta e distribuição,é liberado uma quantidade de água potável e ração. 
[
 

 
E como se tudo isso não fosse absolutamente fantástico, cabe ressaltar que a caixa automática também é de plástico, e é feita pela empresa que recicla as garrafas de plástico. Empresa ‘Pugedon’ o planeta agradece, os animais agradecem, e eu espero que vocês montem uma filial aqui no Brasil.

Nota do Blog: Eu, como fã incondicional de qualquer campanha que vise ajudar os animais, não poderia deixar de fazer essa postagem, que vai mais além do que simplesmente alimentar os animais de rua, pois mais do que conscientizar, mostra que qualquer empresa de qualquer setor, pode se beneficiar ajudando animais, pessoas e o meio-ambiente, basta querer e fazer.

24 de jul de 2014
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário