1 de set de 2015

Dois leões-marinhos morreram depois de serem obrigados a realizarem quinze shows em um único dia.
lobos-marinhos
As mortes aconteceram no aquário existente dentro do zoo de Buenos Aires, e que já havia sido denunciado 30 vezes durante o ano passado devido a uma lei municipal que indica claramente que shows envolvendo quaisquer tipos de animais dentro da cidade eram proibidos.
 
Durante o período de férias, um grande número de pessoas visitou o Zoológico e Aquário de Palermo. Os lobos-marinhos que foram treinados a executar três shows diários, foram obrigados a  executar em único dia - quinze shows consecutivos.
 
O treinamento que consistia em que o animal receba uma recompensa (alimento) após executar o truque foi exacerbado causando indigestão e a morte dos mesmos.
 
Os lobos-marinhos acabaram sendo super alimentados ao mesmo tempo em que eram obrigados a pular, saltar e nadar.  A alteração ou paralisação do processo de digestão, ocorre quando muito sangue é direcionado para um órgão vital mas que devido a atividade ininterrupta dos animais, acabou direcionando o sangue para os músculos, o que ocasionou o óbito de um dos animais no dia seguinte ao show, e outro lobo-marinho mesmo ficando em tratamento intensivo faleceu após 15 dias.
 
Várias Organizações de Direitos dos Animais realizaram um protesto nos portões do Zoológico de Buenos Aires exigindo o fim da exibição dos animais, no último domingo.
 
"Queremos o fim do show no aquário, isso é proibido pela lei 1446 da Cidade de Buenos Ares", disse Matthias Trufero, do grupo ativista Sinzoo e estudante de Direito na Universidade de Buenos Aires (UBA).
 
Trufero também distribuiu folhetos, uma atividade que já era realizada todos os domingos , e disse que eles também reivindicam a conversão do jardim zoológico em um jardim ecológico. "Estamos satisfeitos com a demonstração de hoje, várias famílias participaram do protesto e não entraram no jardim zoológico".
 
"Estes animais vivem, em média, entre 20 e 25 anos. É surpreendente que morreram tão jovens”, disse o ativista.
 
Também o urso polar Winner faleceu dentro do zoo de Buenos Aires, aos 16 anos de idade, devido ao estresse dos fogos de artifícios na véspera da noite de natal. O urso foi encontrado morto na madrugada do dia 25 de dezembro de 2012. "Quando os veterinários chegaram ele já estava sem vida" .
 
O velho discurso de que zoológicos e aquários visam preservar os animais se esvai completamente quando observamos a carga horária a que eles são expostos ao público, de segunda a segunda, de dia e e de noite, sendo observados ininterruptamente, e sem terem direito nem ao silêncio bem como tudo o mais que eles teriam em seu ambiente natural.
 
Um bom exemplo  seria o caso do casal de ursos polares Aurora e Peregrino, trazidos da Rússia para São Paulo, apesar da Lei n° 11.977, de 25/08/2005, cujo Artigo 5º cita que;  “Fica proibida a introdução de animais pertencentes à fauna silvestre exótica dentro do território do Estado”.
 
Conforme informações disponibilizadas no próprio site do aquário de São Paulo (printadas para caso aja alguma alteração), os animais são obrigados a suportar o público pagante das 9:00 da manhã até as 19:00 hs, de segunda a segunda, inclusive nos feriados, e que inclusive tem também tem passeios noturnos mas só com agendamento.
 
Óbvio que se fosse com um ser humano – isso seria chamado de trabalho escravo – mas como os animais não tem direito a nenhuma remuneração,  vários ativistas se reuniram na rua do parque de diversões – CONTRA A EXPLORAÇÃO DOS ANIMAIS, manifestação essa que foi proibida por uma liminar da justiça que não atentou para o ‘lado dos animais’.
 
Curiosamente não são só os animais que estão sendo desrespeitados. Conforme dados do site ReclameAqui, o Aquário de São Paulo também não tem ingresso de meia-entrada, conforme previsto na Lei Estadual 11.182/1995, Lei Federal 10.741/2003, Lei Estadual 13.964/2002, Lei Estadual 15.876/2008. Quem tiver dúvidas quanto a resposta do aquário que diz ter um TAC – Termo de Ajustamento de Conduta, pode consultar o Ouvidor do Ministério Público de São Paulo (click aqui), eu já consultei, mas depois de 30 dias ainda estou esperando a resposta…
aquario-meiaentrada
 
Coincidentemente foi também o Zoológico de Buenos Aires um dos ‘padrinhos’ do Aquário de São Paulo, para que o mesmo se associasse a Associação Mundial de zoológicos e aquários – WAZA.
 
Quem quiser saber mais sobre a verdadeira história da ursa polar Aurora que nasceu livre na natureza, e de como ela conheceu Peregrino, e como ambos acabaram lacrados dentro do único recinto sem área externa para ursos polares do mundo, visite a página https://www.facebook.com/FreeAuroraPilgrim
 
aquario-waza 

1 de set de 2015
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário