29 de jul de 2014

A Comissão de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, esteve reunida com o presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), Antônio Auro e com a Coordenadora do Núcleo de Defesa dos Animais e também membro da Comissão Juliana Castelo Branco.

PIAUI

O encontro foi realizado na sede da Seccional para analisar as denúncias recebidas pela Comissão relativas às aulas práticas de Fisiologia do Curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e instalações do laboratório do mesmo. Segundo as denúncias, os animais estariam sendo maltratados durante as aulas de Fisiologia e os laboratórios estariam, de acordo com a norma vigente, apresentando condições inadequadas em sua estrutura física, conforme publicado pela OAB/PI.

O vice-presidente da Comissão da OAB-PI, Esdras Nery, explicou que o primeiro passo é apurar a veracidade dos relatos, para isto, a Comissão encaminhou uma cópia formal das denúncias com representação para o Conselho Regional de Medicina Veterinária, Ministério Público Federal e Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Esdras Nery afirmou que em relação à possibilidade de maus tratos, cabe ao Conselho de Ética da UFPI, que já foi notificado, avaliar a metodologia utilizada nas aulas de Fisiologia.

Antônio Auro, presidente do CRMV, afirmou que irá apurar as instalações dos laboratórios do Curso de Medicina Veterinária da UFPI assim como as instalações do Hospital Veterinário da Instituição.

A ONG PEA – Projeto Esperança Animal, em sua página no facebook publicou as fotos e o texto abaixo;

Maus tratos e morte em Hospital Veterinário!

Professores de fisiologia do Hospital Veterinário do Piauí foram denunciados por usarem medicamentos vencidos e protocolo anestésico inadequado para a abertura de tórax, e, ao que tudo indica, cometerem um CRIME AMBIENTAL.

De acordo com a denúncia, o cão era sadio e o procedimento foi para simples demonstração. Além disso, o cão não estava entubado e nem cateterizado, tão pouco estava com pano de campo estéril. O professor e os alunos não estavam paramentados adequadamente (touca, máscara, luvas cirúrgicas, proteção para os pés, avental cirúrgico de manga longa). Os instrumentais estavam em cima da mesa e sem pano de campo estéril. Sem contar que o ambiente é de uma sala de aula e não de um centro cirúrgico.

O protocolo anestésico usado era inadequado para tal procedimento o que resultou em dor e sofrimento imensuráveis ao animal.
A prática desse professor levou o cão à uma morte lenta e dolorosa.
A denúncia está sendo investigada pela comissão da OAB-PI.

Veja o vídeo da crueldade cometida em sala de aula:

https://www.dropbox.com/s/38g2609r06y79qj/Tu%20matarás%20%281%29%20%282%29.wmv

Lute contra a crueldade: ASSINE A PETIÇÃO COBRANDO EXPLICAÇÕES E PUNIÇÃO AOS RESPONSÁVEIS!
https://secure.avaaz.org/po/petition/OAB_e_Ministerio_Publico_PI_Apuracao_e_punicao_dos_responsaveis_denuncia_do_Hospital_Veterinario_do_PI/?preview=live

‪#‎denuncia‬ ‪#‎crueldadecomanimais‬ ‪#‎veterinaria‬ ‪#‎faculdade‬ ‪#‎pea‬

29 de jul de 2014
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário