24 de ago de 2014

Puma Atropelada Morde Curativos Após Resgate e tem Pata Amputada

(Vídeo) Na noite mais fria do ano, um puma com uma fratura exposta na pata traseira, tentava se manter em pé apoiado pela placa de velocidade, que certamente não foi respeitada, já que o animal foi atropelado há pelo menos 15 dias. Mesmo de folga, policiais ambientais foram socorrer o animal e moradores cederam um tapete para aquecer o felino.

 

Puma Atropelada Morde Curativos

O Puma foi avistado pelo analista ambiental do ICMBio Anivaldo Chaves, por volta das 7 da noite do dia 13, caminhando no quilômetro 142 da rodovia ERS-020. Bastante debilitado, o felino acabou deitando na beira da estrada em Cambará do Suls/RS. A temperatura na região variava entre 3°C e 5°C.

O puma ou suçuarana, é uma onça-parda que é encontrada em todo o continente Americano, desde o Canadá, ao extremo sul da América do Sul. E foi identificado como sendo um macho adulto, com cerca de 40 kg, e que tinha vários ferimentos, entre eles uma fratura exposta, possivelmente devido a um atropelamento na rodovia.

Em uma corrida contra o tempo para salvar o felino, policiais ambientais mesmo de folga vieram em seu socorro já que o animal estava debilitado e poderia vir a morrer em função do frio excessiv, e que aparentemente estava sem se alimentar há muito tempo, e vinha definhando até ser resgatado.

Com uma corda, a equipe conseguiu laçar o pescoço do felino, permitindo a aproximação do veterinário para aplicação do sedativo. O puma foi imobilizado, moradores cederam um tapete para aquecer o animal, que foi colocado na viatura e levado para o  Gramadozoo, onde foi medicado e recebeu os primeiros socorros. Em função do grau de cicatrização dos ferimentos, os veterinários acreditam que o atropelamento ocorreu há cerca de quinze dias.

O animal teve a pata imobilizada para a cicatrização, mas depois de 5 dias de seu resgate, e a não colocação de um colar elisabetano, o puma acabou  o puma acabou mordendo e arrancando a imobilização providenciada no zoo. A circulação sanguínea foi afetada por completo no membro, e no dia 18,  teve ser amputado.

Dizem que na natureza, o animal vive em torno de 15 anos e em alguns locais pode atingir até 100 quilos. É um animal  que prefere caçar ao entardecer e busca viver em lugares de difícil acesso, florestas, desertos e montanhas.

Se com 4 patas, a chance de sobrevivência já eram pequenas, uma vez que a espécie está ameaçada de extinção, com apenas três patas, não será mais cogitada a reintrodução na natureza.

24 de ago de 2014
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário