24 de jun de 2015

Quando o amor maternal pode ser mais poderoso do que a própria força da natureza.

Que os animais são seres sencientes, dotados de consciência, inteligência e com uma vida social e emotiva muito complexa todos já sabíamos, e que inclusive foi confirmado por diversos renomados cientistas. No entanto cada vez mais surgem provas de que os animais são também seres sensíveis, conscientes daquilo que acontece ao redor, e conscientes de si próprios como indivíduos e de como podem agir perante as mais adversas situações.

ursa-filhote-excepcional

Durante séculos a neve, as densas matas e os pântanos intransitáveis têm protegido grandes áreas florestais da Rússia e seus habitantes da intervenção humana. Mas o premiado fotógrafo Igor Shpilenok, lançou uma campanha para levantar fundos suficientes para mostrar essas paisagens e a impressionante vida selvagem da Sibéria em documentários para a TV.

E as primeiras fotos divulgadas pela equipe do documentário, que mostra imagens incríveis da vida diária dos animais, inclui também um comovente caso de amor maternal.

'Das sete famílias de ursos que encontramos, a ursa nomeada de Maria é a única que permite ser observada a uma distância de 50 metros ou até menos. Às vezes, ela traz seus filhotes a somente a alguns passos de nós; é como se ela quisesse nos mostrar algo, que nós ainda não tínhamos percebido.

Igor Shpilenok

"Apesar, de que esse é um comportamento típico das ursas na reserva de Kamchatka. Elas se mantêm perto dos seres humanos, para manter seus filhotes a salvo de ursos machos que sem ter o que comer, acabam por devorar filhotes da própria espécie", disse Igor ao jornal Siberian Times.

Igor Shpilenok

Mas o caso da ursa Maria é especial, pois ela tem um filhote excepcional e o outro é normal.  Batizado de Chapay, o filhote excepcional é descrito como tendo uma incrível personalidade e habilidades nunca vistas antes. Ele consegue se agarrar as costas de sua mãe de uma maneira que eu nunca havia visto antes, disse Igor que completou;

Igor Shpilenok

"E mesmo quando sua mãe caminha, ele ainda consegue dormir em suas costas".

Leia também: Animais com Síndrome de Down e outras Trissomias

Igor Shpilenok

O documentário sobre os ‘Ursos de Kamchatka’ será filmado ao longo de um período de oito meses para uma produção de 90 minutos para ser lançado em 2017. Ele é descrito como "uma observação única das famílias de ursos para desvendar os mistérios do crescimento dos filhotes de ursos recém-nascidos '.

Igor Shpilenok,

Os documentários que existem sobre ursos foram filmados durante um curto período de tempo. A desvantagem deste tipo de projetos é que o enredo é definido pelos seres humanos, e não pela natureza. A Rússia é chamada de o reino do ursos, mas não sabemos nada da real personalidade do nosso maior símbolo.

"Como é que os ursos crescem, como é que eles aprendem, e como é que eles interagem socialmente?

A Rússia tem cerca de 110 mil ursos marrons, e os números têm se mantido relativamente estável nos últimos anos, apesar de que os animais ainda continuam a ser caçados excessivamente em algumas regiões.

 

Igor Shpilenok, foi o vencedor do Concurso de melhor fotografia do Meio Selvagem de 2006, e seu trabalho tem sido publicado em várias revistas internacionais e russas. Ele está acostumado a vida rural e selvagem da Rússia, onde mora com sua esposa e quatro filhos na floresta Bryansk, não muito longe das fronteiras com a Ucrânia e da Bielorrússia.

 inside_poster_bears_on_kamchatka

"Sinto-me feliz por ter escolhido as reservas naturais e os parques nacionais da Rússia como o foco da minha criatividade. Nós russos podemos nos orgulhar do sistema que mantém 'nossas áreas protegidas’, que é uma das mais importantes do mundo para a conservação da biodiversidade. A câmera tem sido a minha mais fiel companheira na luta para salvar a floresta de Bryansk.

Igor Shpilenok

Fotos de Igor Shpilenok. Você pode apoiar o projeto do fotográgo clicando  AQUI !

Leia também:

ursos-bagagem_thumb animais_down_trissomias
arturo_world saddest polar bear_thumb[2] sunbear

24 de jun de 2015
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário