14 de ago de 2014

(Vídeo) O cachorro que foi deixado para morrer dentro de mala fechada jogada em um terreno baldio na cidade de Vilhena/Rondônia, se recupera lentamente e precisa de uma cadeira de rodas.

Slide3

A veterinária Aliny Ripke explica que, por ter perdido muito peso e passado muito tempo deitado, a musculatura do cachorro está fraca e atrofiada e, por isso, serão necessárias algumas sessões de fisioterapia. “Antes ele estava muito fraco, agora que ele apresentou melhoras decidimos começar com as sessões. Além de estimular a musculatura com a cadeirinha, também faremos sessões de natação”, explica Aline, que foi quem socorreu Guerreiro. O Animal deverá fazer pelo menos três sessões de fisioterapia por semana.

Com relação a cadeira de rodas utilizada pelo cão, a veterinária conta que a usada na fisioterapia de Guerreiro é pequena e a cadeira ideal para o cachorro não tem na cidade. Aline diz que já entrou em contato com uma empresa de São Paulo, especializada em cadeiras para cachorro, e aguarda o retorno.

Ao saber da história de Guerreiro, a dona de casa dona de casa Aparecida Souza Francisca, que mora em um chácara a sete quilômetros da cidade, ficou muito emocionada e resolveu adotar o animal. “Eu tive um cachorro muito parecido com ele, que morreu há alguns anos e fiquei impressionada. Como um ser humano pode ser capaz de fazer isso?”, questiona. Francisca procurou a clínica onde o cachorro está sendo tratado e disse que tem interesse em adotá-lo e sempre que pode vai visitá-lo e contribui com a alimentação de Guerreiro. “Eu senti na hora que deveria ficar com ele. Não me importa se ele vai precisar de cuidados especiais, eu quero cuidar dele”, finaliza.

Grupo se organiza e cria ONG para proteger e salvar cães das ruas de Vilhena

Cerca de 20 pessoas entre veterinários, empresários, profissionais liberais e funcionários públicos se organizaram na semana passada e fundaram uma Organização Não-Governamental, que irá proteger e salvar cães e outros animais das ruas vilhenenses.

A ONG que tem o nome ate agora de “Adote Vilhena”, já ganhou ate o terreno de num dos setores de chácaras de Vilhena. De acordo com a veterinária Aliny Ripke, que será a presidente da ONG, o objetivo é resgatar os animais das ruas, “Nosso foco é ajudar a comunidade vilhenense, para que tenhamos menos problemas com esses animais. Vamos resgatá-los das ruas, castrá-los e promover feiras de doações para que esses animais tenham um novo lar, com donos que não os abandonem mais”, afirmou Ripke, que é proprietária do Pet Shop Animália.

Há pelos menos três anos, Aliny vem tratando em seu Pet Shop de animais de rua de forma gratuita, recebendo donativos e alguns custeios de outras pessoas que também enxergaram esse problema nas ruas vilhenenses.

Na última semana, essas pessoas se reuniram e em assembléia para criar a ONG, definindo quem serão seus dirigentes e traçando as metas para a instituição. “Estamos criando a “Adote Vilhena”, pois temos centenas de centenas de pessoas que querem ajudar a cuidar dos animais de rua de Vilhena, agora teremos uma forma mais direta para essas pessoas, que poderão doar seu tempo, seu conhecimento ou donativos para salvar esses animais”, garantiu Aliny.

APOIO PÚBLICO
Parte dos integrantes da ONG se reuniram com o prefeito José Rover (PP) também na semana passada, e receberam o apoio irrestrito de Rover, na manutenção do trabalho da ONG.

“Estamos contentes em poder ajudar, e estaremos dando todo o suporte que a ONG necessitar para se estabelecer e para se manter. A ONG estará ajudando os animais abandonados e principalmente os vilhenenses, que terão ruas mais seguras para transitar e com menores possibilidades de transmissão de doenças”, asseverou o prefeito.

A prefeitura através de Rover garantiu, que assim que a ONG estiver totalmente estabelecida poderá agendar uma reunião para o firmamento de um convênio público mensal para garantir parte dos custeios de manutenção.

“Grande parte da manutenção e construção da ONG está vindo da iniciativa privada, mas é muito importante sabermos que podemos contar com a iniciativa pública, por parte do prefeito José Rover”, finalizou Aliny Ripke, ao Vilhena Notícias.

AJUDA
De acordo com os organizadores da ONG, várias pessoas já se comprometeram a doar rações, materiais clínicos e até o próprio tempo, cuidando dos animais. Os interessados em colaborar com a construção e manutenção da ONG “Adote Vilhena” podem entrar em contato pelo telefone (69) 9265-9840 ou (69) 8488-5275.

Doações podem ser feitas na conta da Dra. Aline Ripke

Banco Bradesco  Agência 1389-7 - Conta-Corrente 15597

Relembre a história

Cachorro é Deixado para Morrer Dentro de Mala Fechada
CACHORRO LUTA PARA SOBREVIVER AO CRIME DA MALA

14 de ago de 2014
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário