24 de nov de 2014

(Vídeo) Arturo, o urso polar mais triste do mundo completa 29 anos de sofrimento em cativeiro. No vídeo mais recente feito pelos ativistas argentinos é possível ver que o animal não mais forças para caminhar até a piscina.

Depois de ignorar todos os apelos, e as petições, que somadas atingem quase 1 milhão de assinaturas  o boicote é a única chance de pressionar as autoridades argentinas, para que melhorem as condições de vida do urso polar, obrigado a suportar o verão do deserto argentino que atinge 40 graus Celsius ou mais.

arturo-boicote-argentina

O twittaço ou tormenta de twitters é usado para chamar a atenção da imprensa internacional para que mais pessoas se unam ao protesto/boicote, e está marcado para o dia 27 de novembro de 2014, ás 18:00 hs no Brasil (21:00 GMT). As hastags #FreeArturo #BoycottArgentina #Storm4Arturo, devem ser enviadas as celebridades e a imprensa, e em especial as contas da @ciudaddemendoza , @minturmendoza , @PacoPerezMza .

Arturo nasceu em 28 de novembro de 1985, no zoológico de Búfalo no Colorado/EUA. Ainda filhote foi retirado dos braços de sua mãe e foi vendido para a Argentina.

Foi levado ao Zoo de Buenos Aires, e depois aos 8 anos de idade foi transferido para o Zoo de Mendoza, que fica na região mais árida e seca, conhecida como deserto cuyo onde se encontram as principais plantações de uva, utilizadas na fabricação dos vinhos argentinos.

Em fevereiro deste ano, as autoridades argentinas e seus ‘especialistas’, haviam determinado que Arturo, não tinha condições de viajar e portanto não seria transferido para morar no santuário de ursos polares do Canadá, mas haviam se prontificado a melhorar as condições de vida do animal. O quarto de Arturo, tem menos de 2 metros quadrados, no qual ele mal pode se virar. O único ar condicionado em funcionamento faz um barulho enlouquecedor.

Os problemas de saúde de Arturo foram se agravaram com a idade. O animal que sofre de dores nas articulações e de artrite, já estava na pauta dos ativistas argentinos há muitos anos que reivindicavam melhorias no recinto dos ursos polares do Zoológico de Mendoza. Em Novembro de 2011, Arturo e sua companheira Pelusa foram transferidos para um novo local que demorou apenas 6 meses para ser construído, e que na teoria deveria ser melhor, mas acabou por deteriorar a saúde de ambos os animais.

Quatro meses após a mudança para o novo recinto, Pelusa ficou doente e faleceu em Maio de 2012. As autoridades argentinas para não admitir seu erro na equivocada construção que em sua área útil é ainda menor e mais íngreme do que antiga, atribuíram que a morte da companheira é que fez com que Arturo ficasse depressivo.

Muitas páginas, perfis e comunidades foram criados em torno do nome Arturo, mas os reais ativistas na cidade de Mendoza, e as verdadeiras informações, são repassadas apenas pelos Ecológicos Unidos (facebook.com/ecodifusion29), que criaram a comunidade do Oso Polar Arturo (facebook.com/osopolararturo) em espanhol, ou em inglês pela comunidade de suporte (facebook.com/freearturo).

Especialistas estimam em 30 anos a vida dos ursos polares em cativeiro. Arturo chega aos seus 29 anos de calvário, e a única modificação em seu recinto, depois de tantos apelos e petições, foi a ter o concreto e a piscina pintada de branco para imitar a neve. Até as doações de gelo ao animal estão sendo boicotadas pelos administradores do Zoo. Quem quiser doar gelo, tem que primeiro enviar uma solicitação para a cidade de Buenos Aires onde fica a administração geral de zoológicos argentinos, e aguardar a resposta. Por este e por outros descasos e maus tratos aos animais no Zoológico de Mendoza, devemos boicotar os produtos argentinos para mandar nossa mensagem de desaprovação a eles e de nossa compaixão pelos animais que eles escravizam.

24 de nov de 2014
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário