19 de nov de 2014

Conhecida como a suíça brasileira por causa do frio, o problema dos animais abandonados nas ruas de Campos do Jordão apesar de antigo, é pouco divulgado, assim como o recente assassinato de cães, que foram envenenados durante a madrugada do último final de semana.


Em um grupo do facebook há comentários de que os moradores de rua no local - dizem ter visto um veiculo gol, da prefeitura dando "comida", aos cães  na madrugada, fato muito estranho já que isso nunca ocorreu nem durante o dia.

Elidio Gonçalves, o proprietário da Drogaria Avenida, durante 10 anos tentou aplacar o frio e a fome dos cães que perambulavam pelo centro comercial de Abernéssia, um bairro de Campos do Jordão. Os animais chegavam, deitavam e ficavam por lá, até que resolviam dar um volta, alguns retornavam todos os dias, outros iam embora de vez.

Elídio Gonçalves forneceu caminhas feitas de caixas de papelão, cobertores, roupinhas, água e ração, e muito carinho. O proprietário da Drogaria Avenida ajudava a todos os animais que perambulavam pelo centro comercial. Agora ele busca informações, para conseguir punir quem envenenou os cães na madrugada.

Em um grupo do facebook ele postou;
Nunca achei que fosse correto.mas,pela minha Paixão pelos Animais sempre mantive caixas e alimentos para meus Vira-latas em frente ao meu comercio (Drogaria Avenida).   
Sei que fui criticado e ate entendia, pois realmente ali não era o lugar deles,mas assim mesmo eu teimava e assim agi por todos esses 10 anos ou mais. Eu sei que estava errado. Mas será que foi correto ENVENENAR vários Cães na calada da noite, inclusive os meus companheiros de todos os dias?
Sim, Eles foram embora não por vontade de Deus, mas pela ignorância do ser Humano.(Andarilhos da madrugada estão me trazendo essas informações). Eu quero e vou procurar a verdade. 
Um dos vários cães comunitários, um era chamado de Mão Branca.
Mão Branca era muito querido… Por mim, pelo Márcio e por todos.
Dormia, com os outros, em frente da Droga Avenida, o proprietário colocava caixas de papelão para os três e estas serviam de camas… Ou do outro lado da rua, na Estação do Bondinho… 
Mão era “cliente” da padaria, às 7h já estava lá para ganhar o café da manhã…Dócil, simpático, amoroso…
                    Um bicho que valia o seu peso em ouro…
Uma certa madrugada, muito antes desta barbaridade, foi esfaqueado por um dos muitos drogados que perambulam pela cidade nesse horário, mas foi resgatado, levado ao veterinário e salvo pelo próprio Márcio.

O trecho acima foi extraído do texto escrito por Manolo Mattos, que você pode ler na íntegra e se emocionar clicando aqui.

19 de nov de 2014
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário