9 de jun de 2015

Um jovem lobo foi morto devido a uma série de erros humanos, praticados em um jardim zoológico e pelas autoridades do estado, deixou centenas de pessoas indignadas.

Jovem lobo é morto para que criança não

O incidente aconteceu no final do mês passado no Zoo Park Menominee, um pequeno jardim zoológico público em Oshkosh, Wisconsin, depois que um funcionário deixou aberta uma porta que levava á uma área restrita exclusivamente para trabalhadores do zoo. No entanto vários visitantes aproveitaram o portão aberto para adentrar a área e assim chegar bem perto do recinto que mantinha uma matilha de lobos.

No grupo que invadiu o local restrito era composto entre 15 e 20 pessoas, e entre eles uma criança de apenas 3 anos de idade, aproximou-se e enfiou os dedos através das grades de separação. Foi então que um lobo curioso chamado de Rebel, de 12 anos de idade, tentou a sua maneira se comunicar com a criança e também estendeu seus dedos para cumprimentá-la. No entanto as unhas de seus dedos – suas garras acabaram por arranhar superficialmente a mão da criança, 

A mãe do menino que foi arranhado, disse à polícia que viu o grupo de 15-20 pessoas perto dos lobos, e levou seu filho para essa área. Ela disse que estava tirando fotos dos lobos, quando ouviu as pessoas gritando que os dedos de seu filho estavam dentro da cerca de arame dos lobos. Quando ela tirou os olhos da câmera, viu que havia sangue em dois dedos da mão do filho.

As autoridades de saúde aconselharam os pais do menino, a aplicar as doses da vacina de raiva para humanos, para o caso de que o lobo estivesse infectado. Os funcionários do zoológico  disseram que seria necessário sacrificar o lobo para saber se ele tinha ou não a doença da raiva, que é feito com uma amostra do tecido cerebral e que não pode ser feito em um animal vivo.

No entanto as autoridades locais deixaram os pais decidir se eles queriam dar a sua criança as vacinas preventivas de raiva, ou se queriam que o lobo fosse morto para  que ele pudesse ser testado. E os pais escolheram por matá-lo. E depois de eutanasiado, o lobo Rebel teve todos os resultados negativos para a doença. Os testes mostraram que o animal não tinha a raiva.

No recinto dos lobos havia a mãe e o pai de Rebel, que se tornou o alfa da ninhada de 4 filhotes. 

De acordo com o Departamento de Polícia de Oshkosh , a Divisão de Saúde Pública (DPH) considerou, o lobo Rebel, como uma ameaça alegando que a vacina contra a raiva não tem se mostrado eficaz em lobos.

Spencer Wilhelm, gerente de operações para o Wolf Conservation Center , disse ao The Dodo que a vacina não foi estudada porque ninguém quer matar o número necessário de lobos para pesquisá-lo, mas que todas as evidências apontam que a vacina é eficaz. O lobo Rebel estava em dia com suas vacinas.

Agora, os antigos fãs do zoológico estão em pé de guerra com o trágico destino dado ao lobo Rebel,  os quais sugerem que o lobo estava apenas agindo naturalmente e que ele nunca deveria ter sido concebido dentro do cativeiro.

.

"Eu não entendo por que este animal selvagem teve de sofrer devido a ação idiota que os seres humanos fizeram", escreveu uma pessoa escreveu na página do zoo. "Os pais deveriam ter sido punidos por permitir que seu filho ficasse em uma área proibida ao público."

"Por que é correto um zoológico educar as crianças que é certo matar um animal selvagem que nem sequer merece ficar atrás das grades?" outra pessoa perguntou.

Wilhelm disse que, enquanto a vacinação anti-rábica é desagradável, ela dura apenas alguns segundos. No entanto para evitar esse mínimo desconforto temporário, ele explicou, "uma vida foi extinta por algo que não precisava ser extinto."

Mas, infelizmente, a morte de Rebel, é apenas o último de uma série de decisões trágicas apoiados por políticas questionáveis aplicadas aos animais selvagens questionáveis.

O diagnóstico da raiva em animais é feito pelo teste direto fluorescente para antígenos, esse teste requer tecido cerebral do animal suspeito de ter a raiva e só pode ser feito apenas após a morte, e é o mais frequentemente usado para diagnosticar a raiva em animais.

O mesmo poderia ter acontecido no Brasil com o tigre Hu, que após ter sido provocado por um garoto de 11 anos, resolveu pegar o brinquedo que estava sendo ofertado por entre as grades – o braço do menino. Se as consequências não tivessem sido tão graves para o garoto – elas poderiam ter sido graves para o tigre, que provavelmente também teria sido eutanasiado para o teste da doença de raiva.

Relembre o caso: Garoto Provoca Tigre e Perde o Braço

Em abril, o Alaska havia condenado uma família de ursos negros à morte, simplesmente porque eles exibiam um comportamento defensivo – depois que um grupo de turistas os cercaram e os perseguiram até uma árvore. A decisão foi revertida, felizmente, devido ao clamor público.

Em maio, um leão da montanha, foi brutalmente em Nebraska, simplesmente porque resolveu tirar uma soneca ao lado de um edifício.

E enquanto as preocupações com a doença da raiva são certamente válidas, Wilhelm disse, que a morte do lobo era desnecessária.

"Se os pais estavam preocupados, eles deveriam ter dado as vacinas em seu filho", observou ele. "Eu, na minha opinião, não acho que o lobo deveria ter sido eutanasiado por nenhum motivo."

9 de jun de 2015
comments powered by Disqus

Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário